Assistência Social realiza Audiência Pública em defesa do SUAS

Nesta terça-feira (26), a partir das 09h, a Secretaria de Assistência Social realiza na Câmara Municipal de Vereadores uma audiência pública em defesa do Sistema Único de Assistência Social, o SUAS, que vem sendo alvo de cortes e atrasos de recursos por parte do Governo Federal, como ressalta a secretária Teófila Valença.

“Será um momento de troca de experiência e fortalecimento dos órgãos públicos, de todas as esferas, em defesa da manutenção e ampliação dos recursos para os programas sociais que vem sendo atingidos em cheio pelos atrasos constantes por parte do governo que pouco tem se preocupado com os mais pobres. É essencial a participação da sociedade nesta luta”, afirmou a secretária.

Com o tema “Articular! Mobilizar! Juntar forças em defesa do SUAS”, a Audiência Pública surge de uma articulação com o COEGEMAS/PE – Colegiado Estadual de Gestores Municipais de Assistência Social. Os municípios de todo estado de Pernambuco estão se articulando para mobilizar profissionais, usuários, agentes públicos, instituições, Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, em defesa da Política de Assistência Social.

Para o COEGEMAS/PE é extremamente importante a realização desses atos em articulação com os poderes legislativos, municipais e estaduais e a instituição ou o fortalecimento das Frentes Parlamentares em Defesa do SUAS.

Uma das maiores preocupações e pautas da mobilização é a execução orçamentária de 2020 são as maiores preocupações e pautas da mobilização e explicou que o momento exige atenção dos gestores para duas ações que podem direcionar recursos para a assistência social: a PEC 383/2017 (PEC do SUAS) que altera a Constituição Federal para garantir recursos mínimos e definitivos para o financiamento do SUAS, defende a destinação de 1% da receita  da União para Gestão e serviços do SUAS, e;  o ao Projeto de Lei do Congresso Nacional – PLN 42/2019, que tem como intuito suplementar R$ 750 milhões de reais ao orçamento do SUAS ainda no exercício de 2019.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou pesquisa revelando que hoje, 13,5 milhões de brasileiros vivem abaixo da linha da extrema pobreza (R$ 145 por mês), o maior índice na série histórica do estudo, iniciada em 2012. Em meio a esses dados preocupantes existe outra pesquisa que aponta a interrupção do atendimento de 17 mil serviços socioassistenciais, ofertados nos CRAS, CREAS, CENTRO-POP e Unidades de Acolhimento Institucional. Esses números são sentidos especialmente pelos municípios, que encontram grande demanda na rede socioassistencial, mas estão sem condições de oferecer atendimento.

Publicado em Assistência Social.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *