Buíque sai na frente na transferência de tecnologia do Programa Nacional de Imunizações

Buíque sai na frente na transferência de tecnologia do Programa Nacional de Imunizações
Spread the love

Depois de herdar uma secretaria sucateada, sem medicamentos, médicos e até mesmo vacinas, o prefeito de Buíque, Arquimedes Valença, deu o ponta pé inicial para que a Secretaria de Saúde do município faça a transição do sistema de informação específico do PNI (Programa Nacional de Imunização) – SISTEMA DE INFORMACAO DO PNI (SIPNI) para o SISAB/E-SUS. Será um sistema único da atenção básica.

Segundo a coordenadora do PNI no município, Michele Novaes, com a unificação dos sistemas de informação para um prontuário único, eletrônico, o usuário terá acesso as informações de Vacinação através do PEC- Prontuário Eletrônico do Cidadão. Para isso, na última sexta-feira foi realizado um treinamento para os técnicos de enfermagem com o objetivo de operacionalizarem o novo sistema de informação do Programa.

O treinamento previsto para 22 de novembro foi antecipado, uma vez que o município possui autonomia para realização do evento e por entender que o início do mês facilitaria o repasse das informações completas ao Ministério da Saúde, por ordem da produção mensal. Com isso, Buíque sai na frente na região da VI Geres promovendo a integração de 100% do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SIPNI) à Estratégia e-SUS AB.

Segundo Michele, “esse processo de unificação vem desde o ano passado, mas o PNI ainda continuava fora dessa integração, mas agora em setembro uma nova portaria do MS impôs aos municípios que fosse feita essa transferência de informações”. O objetivo da antecipação foi fechar o mês de novembro com as informações completas integradas para serem repassadas ao Ministério da Saúde.

Sistemática – Com as mudanças, os profissionais de saúde da Atenção Primária deverão registrar as informações de imunização exclusivamente nos softwares disponibilizado pelo Ministério da Saúde (Prontuário Eletrônico do Cidadão – PEC ou Coleta de Dados Simplificada – CDS) ou nos sistemas próprios ou de terceiros devidamente integrados ao Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB). Já os dados referentes à movimentação de imunobiológicos nas salas de vacinas, aos eventos adversos pós-vacinação e ao monitoramento rápido de coberturas vacinais permanecerão no SIPNI.

As unidades de atenção primária à saúde deverão adotar um dos sistemas, preferencialmente o PEC do e-SUS AB, para coleta e registro dos dados dos imunobiológicos. O registro identificado pelo Cartão Nacional de Saúde (CNS) é indispensável para que seja possível consultar no futuro os registros de atendimento no histórico do cidadão no aplicativo “Meu DigiSUS”.

Sobre o autor

Profissional de Mídia e Assessoria de Imprensa.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link
Powered by Social Snap